Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DN & Companhia

Há muita vida neste Douro Sul

»Bem sei que temos a CIM Douro e é notória a sua importância em algumas dinâmicas supra concelhias de âmbito mais alargado, mas não me reconheço nessa escala e não identifico nela a solução para os nossos problemas mais específicos.

 

Por isso, considero que estes concelhos a Sul do Douro, estão destinados a abraçarem-se. Já não basta dar as mãos, é preciso uma ligação mais forte, duradoura e promotora de confiança."

 

Em Lamego a Senhora dos Remédios, essa festa emblemática; em Moimenta da Beira a Expodemo, que se afirma a cada ano que passa; em Sernancelhe a Festa da Castanha, uma montra gastronômica com invejável procura; em S. João da Pesqueira com a Vindouro - Festa Pombalina, já uma referência na vitivinicultura; em Tarouca o S. Miguel, com grandes memórias e a construir um novo modelo; em Armamar a Feira da Maçã, apresentando uma grande vitalidade; em Tabuaço o S. João, forte e de grande tradição; em Resende o Festival da Cereja, um ponto de encontro de produtores e consumidores; em Penedono o Mercado Magriço, que procura valorizar as iniciativas locais.

 

Este Douro Sul apresenta, para além destes eventos que aqui trago a mero título de exemplo, atividades extraordinariamente marcantes.

 

Cada um destes eventos é divulgado exaustivamente por todo o território e transformou-se, cada um deles, em cartaz de atração turística e ponto de encontro obrigatório dos cidadãos desta região.

 

Em cada um destes acontecimentos, a escala de potenciais frequentadores passou grandemente a estrutura demográfica de cada um dos concelhos. Os quase 100.000 habitantes do Douro Sul, dão outro alento a tudo o que se realiza em cada concelho.

 

Esta CIDADE DO DOURO SUL, de vilas e cidades fantásticas, é cada vez mais uma referência nacional.

 

Esta realidade, vista a partir de um olhar otimista e um futuro desejado, é constatada no presente em alguns dos eventos e possível para muitos mais. Esta abordagem de atividades nos Municípios, vinca a importância da afirmação da cidade Douro Sul.

 

Certamente que todos percebemos que não se tratará de uma cidade em stricto sensu, mas sim uma cidade de exercício de cidadania, assente em vontades de partilha de recursos e interesses comuns, de cidadãos que persistem em viver nestes concelhos tão fustigados pela catástrofe da desertificação humana.

 

Bem sei que temos a CIM Douro e é notória a sua importância em algumas dinâmicas supra concelhias de âmbito mais alargado, mas não me reconheço nessa escala e não identifico nela a solução para os nossos problemas mais específicos.

 

Por isso, considero que estes concelhos a Sul do Douro, estão destinados a abraçarem-se. Já não basta dar as mãos, é preciso uma ligação mais forte, duradoura e promotora de confiança.

 

Os líderes locais estão com uma extraordinária visão para a solução dos problemas comuns. Fiquei até muito bem impressionado depois de algumas conversas que fui tendo com alguns deles e isso deixa-me otimista. A cidade Douro Sul será, porque já está a ser, uma realidade.

 

Não descobri a pólvora, nem tão pouco algo ou uma visão especial, na verdade já foram muitos e são já muitos a defenderem esta escala de organização territorial.

 

Saibamos juntar vontades e pragmatizar este objetivo muito claro e, em conjunto, promovermos um tempo novo na organização das políticas públicas no Douro Sul, aproveitando sinergias também nas dinâmicas da sociedade civil, empresariais e institucionais.

 

Os cidadãos agradecem,

Douro Sul - A cidade que se impõe.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Contactos