Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DN & Companhia

Rui Clemêncio na Vice-Presidência da Direção Nacional da APSAI

apsai.jpg

 

Rui Clemêncio, eleito hoje Vice-Presidente da Direção Nacional da Associação Portuguesa de Saúde Ambiental - APSAI.

 

O Dr. Rui Clemêncio é, para além de um Ser Humano de exceção, um profissional de saúde de extraordinária competência e dedicação à causa pública.

 

No Agrupamento de Centros de Saúde do Douro Sul, o Rui Clemêncio, exerce funções na importante USP- Unidade de Saúde Pública, sendo também Vogal do Conselho Clínico e da Saúde, com um papel muito relevante na otimização do processo de Contratualização interna e externa e, ao longo destes anos, tem sido um lutador por mais e melhores cuidados de saúde na nossa região.

Sempre com abertura, humildade,  energia inesgotável , competência e visão inovadora.


Registo com grande entusiasmo este seu novo papel na afirmação da saúde ambiental e na defesa do bem estar dos cidadãos em Portugal!


Felicito este cidadão do Douro Sul, um orgulhoso Alvitano, tendo sempre presente a região, o seu concelho de Moimenta da Beira, as suas tradições e as potencialidades, em todos os contextos onde esteja.


Há futuro no Douro Sul
DN

Há novas complexidades em  cima da mesa!

nevoeiro douro sul .jpg

 

Teimamos no uso de soluções velhas para problemas absolutamente novos!

O Mundo mudou, a nossa região está profundamente diferente também.

 

Infraestruturas excelentes, equipamentos fantásticos!

Mas, menos gente e gente com novas necessidades - Somos menos e mais velhos.

 

Há novas complexidades em cima da mesa.

 

- Só um trabalho em escala - Douro Sul- estará à altura de ser solução .

- Só modelos científicos e pessoas com visão fora da caixa, podem ajustar as políticas de desenvolvimento nesta região, às reais necessidades dos que por cá ainda vivem.


Saibamos aproveitar,  o excelente trabalho dos Municípios e  das instituições da sociedade, a ação supramunicipal, a atitude em equipa e abramos a região a novos conceitos.

 

Corramos com quem não nos ajuda e só empata, iludindo-nos!
Na justiça, na educação, na saúde, na agricultura, etc, há coisas que não poderemos admitir mais - que pensem por nós!

 

Há coisas que nos tapam o sol e  temos que as aceitar, são da natureza;  há outras, que acabam por fazer o mesmo, mas que podemos mudar!

 

Falar faz-nos bem,
Agir, faz bem a todos!
DN

 

LAMEGO - circuito fundamental.

LAMEGO .jpg

 

Abrindo "hostilidades"..!?

Precisamos "condicionar" de forma honesta e aberta a discussão das opções coletivas.
Hoje falo da nossa cidade de Lamego!

Circuito comercial e habitacional - cardoso avelino, macário de castro, olaria, almacave, praça do comércio, cinco de outubro, avenidas!

Precisamos:
Reabilitar, reabitar, reabrir!
Prédio a prédio, casa a casa, loja a loja!

 

 Fazer deste circuito, em espaço aberto , uma estrutura comercialmente dinâmica e habitada!

 

Sim, temos que repensar as acessibilidades..!

 

Mas, não fazer isto, será deixar "morrer" a cidade em meia dúzia de anos!

Urge fazer gestão aturada e persistente deste espaço urbano, parte dele,  em estado preocupante!
DN

 

 

A saúde no Douro Sul perdeu o Norte!

Entre gigantes Foto.jpg

 

https://cld.pt/dl/download/2f4c045b-96e2-41b4-aed7-376da8f42817/2017-01-30%20Nota%20%C3%A0%20Comunica%C3%A7%C3%A3o%20Social%20-%20Sa%C3%BAde.pdf 

 

Em grande perda anda a saúde nestas terras de silêncios!


A propósito da recente visita dos Deputados do PSD às estruturas do serviço nacional de saúde na região, não poderei deixar de dizer:


O Hospital de Lamego sem um programa funcional adequado às idiossincrasias da região, com promessas recorrentes de mudanças, continua a não ir ao encontro, de forma ajustada, às reais necessidades das pessoas.


O Agrupamento de Centros de saúde há quase dois anos e meio agarrado a papéis, sem estratégia é incapaz de concretizar soluções! 
Aces de um Homem só, incapazes de trabalhar em equipa, fazendo dos Agrupamentos um vazio de presente e futuro, matando a esperança e tapando os horizontes de muitos profissionais com muita competência e vontade de fazerem mais e melhor.


Felizmente o apoio à gestão e a governação clinica, os excelentes coordenadores nas Unidades, com um empenho assinalável dos profissionais, vão minimizando as incapacidades de se fazerem coisas úteis.
Quem perde são os profissionais e os cidadãos.


Os nomeados politicamente não podem esconder-se desculpando-se com os Governos, pois são os seus representantes nos organismos do estado. Se não se revêem nas políticas deveriam demitir-se.


Como tenho vindo a falar, no Aces Douro Sul, é incompreensível a não criação há quase dois anos e meio de mais nenhuma equipa de cuidados continuados integrados, só Tarouca tem. Não há investimentos previstos, nenhuma nova USF se perspectiva, zero em política de fixação de novos médicos, resignação quanto à transferência / mobilidade de enfermeiros que ajudem na efetivação das ECCI .
As Equipas de Cuidados Continuados Integrados domiciliários não precisam de Enfermeiros de saúde materna, essa área não constitui carteira de serviços destas equipas, mas de organização e capacidade de juntar recursos.


As soluções existem mas precisam de ser construídas no terreno com as instituições sociais e os municípios que sempre estão de braços abertos para que a vida das pessoas seja melhorada.


Felicito a visita dos Deputados do PSD à saúde do Douro Sul. Colocaram o dedo nas feridas. Deixaram claras algumas das fragilidades. Depreendo que querem dizer : a saúde no Douro Sul urge em ação, já!


Quem ocupa cargos políticos tem que se sujeitar a uma avaliação política.
Eu venho dizendo que a fatura da inação, das oportunidades perdidas e da falta de soluções de futuro, terá que ter rosto!
DN

 

 Foto: Simbólicamente o Douro Sul - encravado entre gigantes - não é facil chegar ao sol!

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Contactos